“Escolher o seu tempo é ganhar tempo.”

Francis Bacon

A Avaliação

Recomenda-se a realização de cuidadosa história clínica e exame físico, objetivando-se, principalmente, a identificação de instabilidade clínica recente (isquemia, falência cardíaca e/ou arritmias) e de possível obstrução grave do trato de saída ventricular. A avaliação clínica não deve estar restrita ao aparelho cardiovascular, devendo-se pesquisar doenças ortopédicas, pulmonares, neurológicas ou vasculares. A avaliação do especialista deverá ser solicitada sempre que pertinente. Os medicamentos em uso devem ser registrados, com ênfase àqueles que alteram a resposta cronotrópica ao exercício. A realização de alguns exames complementares, tais como exames laboratoriais, radiografia de tórax, fundoscopia, deve ser dirigida conforme a doença do paciente. A obtenção de eletrocardiograma em repouso e de teste ergométrico é indispensável, sendo desejável, em casos selecionados, a realização de um ecocardiograma.

O teste ergométrico pode ser realizado em esteira ou cicloergômetro, limitado por sintoma ou sinal, preferencialmente utilizando o protocolo de rampa. Não há consenso quanto à indicação rotineira da ergoespirometria (teste cardiopulmonar de exercício). Os dados obtidos através deste método apresentam maior exatidão, sendo de particular importância na avaliação e prescrição de exercícios na insuficiência cardíaca.

Orientações ao Paciente

– Chegar pelo menos 15 minutos antes do horário marcado.

– Trazer exames cardiológicos anteriores, receita com as medicações em uso e pedido médico.

– Mulheres: não deverão vir para o exame usando vestido, pois há necessidade de tirar a parte de cima da roupa e usar camisola descartável.