neck-3739667_1920

Maiara Ribeiro 9 de abril de 2019
Principal forma de aliviar o torcicolo envolve uso de analgésicos e relaxantes musculares.

O torcicolo comum é causado por um espasmo muscular na região do pescoço. O espasmo é caracterizado pela contração intensa do músculo, o que já causa dor. Além de provocar desconforto, a condição dificulta a irrigação sanguínea na região, o que também gera dor, limitando os movimentos da cabeça por um período.

“O espasmo muscular acontece como uma forma de proteção. É o nosso cérebro quem controla os músculos, e a função do cérebro é basicamente nos manter vivos. Então, se ele percebe algum problema na cervical, ele gera uma contração muito intensa como forma de proteger, imobilizar a região. É uma proteção fora de calibração, porque é muito intensa, mas é uma proteção”, explica a fisioterapeuta e mestre em biomecânica Raquel Castanharo.

TORCICOLO NÃO É CAUSADO POR UM PROBLEMA PONTUAL

De acordo com Raquel, o torcicolo ocorre quando a cervical não está bem. Às vezes, a região está sensível ou instável, sem firmeza. Com isso, qualquer movimento mais brusco ou posição desfavorável (como quando dormimos “de mau jeito”) pode acionar o movimento de proteção do sistema nervoso central, resultando na contração que dá origem ao torcicolo. “Portanto, não é exatamente dormir de mau jeito que causou o problema. Ao longo de muito tempo a cervical já vinha ruim e calhou de à noite a pessoa dar uma virada fora do habitual, e o corpo gera essa reação de proteção”, explica.

“A gente tem que dormir na posição em que se sente confortável. Agora, se você está tendo torcicolo sempre, em vez de questionar a altura do travesseiro é preciso observar o que está acontecendo durante o dia para sua cervical estar tão sensível”

Segundo o dr. Raphael Marcon, ortopedista do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas (IOT/HC-FMUSP) e do Hospital do Coração (HCor), a condição pode provocar um círculo vicioso, pois quando temos um torcicolo e sentimos dor, o reflexo natural é contrair os músculos das regiões próximas. O problema é que essa nova contratura também gera dor, que leva a um novo aumento da contratura e assim por diante: Dor -> contratura -> dor -> contratura. “Dessa forma, um processo doloroso que inicialmente começa localizado pode se espalhar para a região dorsal ou para a cabeça. Além disso, dependendo da intensidade da contratura local, podemos ter, em casos extremos, a compressão até das raízes nervosas que passam na região, levando a dores irradiadas para os membros superiores”, esclarece.

COMO ALIVIAR O TORCICOLO

O tratamento medicamentoso deve ser feito com base nas duas pontas do problema: são usados analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar a dor e relaxantes musculares para reduzir o espasmo. “O paciente pode tratar o problema com calor local e analgésicos simples, mas se isso não funcionar, o ideal é buscar um atendimento de saúde”, afirma Marcon. Segundo o médico, para tratar espasmos graves podem ser recomendados benzodiazepínicos (medicamentos sedativos comumente receitados no tratamento de ansiedade, mas que também podem ser indicados para relaxamento muscular).

Raquel recomenda repouso, bolsa de água quente e massagem na região, mas sem exagerar na força. “Às vezes, a gente pensa que quanto mais melhor, que tem que doer para curar, e isso não é verdade. Uma massagem muito intensa pode ser interpretada pelo sistema nervoso como uma agressão e, portanto, ele vai gerar ainda mais ‘proteção’, o que significa mais contração muscular, mais espasmo e mais dor. É preciso ter paciência e entender que o torcicolo não some em dois minutos, o pescoço vai ficar alguns dias dolorido”, resume.

O colar cervical é um item que pode auxiliar no tratamento. Ele imobiliza a região e funciona como uma muleta para o pescoço, desempenhando a função de sustentar a cabeça de modo que a musculatura do pescoço não precise ter esse trabalho e, assim, se restabeleça.

TORCICOLO RECORRENTE

É muito frequente pensar que o grande causador de problemas reside na hora do sono. A posição de dormir ou o tamanho do travesseiro são muitas vezes apontados como os causadores de uma manhã com dor, mas segundo Raquel, não é bem assim. “A gente tem que dormir na posição em que se sente confortável. Agora, se você está tendo torcicolo sempre, em vez de questionar a altura do travesseiro é preciso observar o que está acontecendo durante o dia para sua cervical estar tão sensível”, orienta.

Raquel diz que fisioterapia, quiropraxia e acupuntura auxiliam no tratamento de casos agudos. Em longo prazo, é necessário identificar as causas do torcicolo e atuar nelas diretamente. Métodos como RPG e pilates podem ajudar a prevenir o problema, principalmente nos casos em que ele acontece com frequência.

Sobre o autor: Maiara Ribeiro
Maiara Ribeiro é jornalista, repórter do Portal Drauzio Varella e interessada em temas relacionados a saúde da mulher e deficiências na infância.

Fonte: https://drauziovarella.uol.com.br/ortopedia/como-aliviar-o-torcicolo/

Deixe um comentário:

*

Seu endereço de email não será publicado

Copyright . Clinicordis . Todos os Direitos Reservados.